Fundação

1. Oficial

Apregoa-se que a Fundação da Igreja Maranata foi efetuada em outubro de 1968, por revelação do próprio Jesus Cristo há 08 pessoas de uma tradicional família dissidente da Igreja Presbiteriana do Brasil de Vila Velha – ES. Diz-se que tal família, ainda na Presbiteriana, houvera recebido o batismo com o Espírito Santo e tentara implantar o pentecostalismo na citada Instituição, de modo a causar vários constrangimentos no seio religioso. Foi então que, influenciada por dois teólogos pentecostais (o primeiro, esposo de uma das mulheres, e o outro, amigo de um dos homens da família), esse grupo familiar resolvera se isolar em seu próprio entendimento, em busca ao Senhor, uma vez que estava decepcionado com situação das Igrejas Evangélicas do Brasil, de modo que não queria comungar com os erros, contradições, friezas dessas Denominações brasileiras – ensina-se.

Logo depois, em 1968, numa reunião espiritual da família, conta-se que esse grupo familiar fora visitado por um anjo enviado por Deus trazendo consigo uma prancheta contendo todo o “projeto” para resgatar ou restabelecer a “Obra do Espírito Santo”, a qual o Senhor Jesus estava preparando para os Últimos Dias, a fim de reagrupar os servos fiéis e restaurar a Igreja de Jesus para novamente viverem-na em caráter de Corpo de Cristo, o qual havia se fragmentado e perdido sua unidade após os idos da Igreja Primitiva, em razão do Catolicismo e do Protestantismo, cuja finalidade, agora, deste “projeto revelado” era de dar início a dita última fase da Igreja de Jesus, antes do Grande Dia do Arrebatamento. Ensina-se que após as ditas fases da Igreja, da Primitiva, da Romanista, da Protestante, da Pentecostal, da Evangélica, agora surgiria a última etapa, a mais evoluída da Igreja de Deus: etapa essa ensinada como a da “Igreja Fiel”. Por causa desses supostos eventos, a Igreja Maranata é prestigiada entre seus membros como “a Obra Revelada”.

2. Oficiosa

A “Igreja do seu Abílio”. Assim era conhecida a instituição frequentada pela família de Abílio Gueiros, que, no fim dos anos 60 – após um racha com a Igreja Presbiteriana de Vila Velha –, deu origem à Igreja Maranata. A nova igreja surgiu de um racha ocorrido no seio da Presbiteriana em razão de que, em 28 de janeiro de 1965, data em que o Jedaias, irmão do atual Presidente da Igreja Maranata, Gedelti Gueiros, perdeu a eleição para pastor, pondo fim à hegemonia da família Gueiros à frente da Presbiteriana. Jedaias havia sido eleito pastor por três vezes consecutivas, mas não chegou a assumir o último mandato. Decidiu aceitar um convite para pastorear outra unidade presbiteriana no Rio de Janeiro. Seis anos depois, após passar em um concurso para juiz no Estado, decidiu retornar e reassumir o comando da igreja, em uma nova eleição. A família Gueiros dava como certa a vitória de Jedaias, mas, inclusive, para surpresa de todos, o resultado foi outro. Jedaias perdeu para um pastor humilde, recém-chegado a Vila Velha, do interior do Estado.

O irmão de Gedelti perdeu as eleições para Sebastião Bittencourt dos Passos por uma diferença de 21 votos, resultado que não foi aceito. A família Gueiros julgava ser muito improvável a eleição do Sebastião, face a grande influência que sempre exerceu na igreja. O resultado disso se viu nos anos seguintes. O primeiro passo foi uma tentativa da família Gueiros de anular a eleição. Num primeiro momento até conseguiram. A cúpula da Presbiteriana aceitou o pedido e manteve Sebastião na igreja apenas como pastor evangelista e não titular. Essa decisão não agradou a outros membros da igreja, que alegavam desconhecer os motivos que levaram a eleição a ser anulada. Com a pressão dos fiéis, a cúpula da Presbiteriana decidiu confirmar a vitória de Sebastião, que voltou a ser pastor titular. Essa decisão foi um balde de água fria nos propósitos dos Gueiros. Nos meses seguintes, os Gueiros começaram a se reunir em outra congregação, numa comunidade chamada Cruz do Campo, no bairro da Toca, em Vila Velha. Lá recebiam pastores de outras denominações. Com uma doutrina diferente da presbiteriana, que incluía revelações e línguas estranhas. Foi dessa pequena congregação que surgiu uma nova igreja, a Igreja Cristã Presbiteriana. Alguns anos depois, em 1978, seu nome foi trocado para “Maranata”.

Observação: Texto “Oficiosa” fora retirado do Jornal A Gazeta do Estado do Espírito Santo do dia 12 de fevereiro de 2012.

 “Quanto menos o povinho souber como são feitas as salsichas e as leis, mais dormirá tranqüilo.” Otto Von Bismark

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s